24 de novembro de 2016

Teus olhos

Nunca vi teus olhos
Mas parece que os reconheço
Baixos, profundos e acompanhados de um sorriso

Nunca vi teus olhos 
De perto
Mas parece que os reconheço
e nas palavras que ouvi, 
havia uma voz, que gostei, pela qual tive apreço

Eu nunca vi teus olhos
e talvez nunca os veja
mas já valeu a pena ter de novo essa
sensação
de que minhas palavras são colhidas por alguém

Às vezes são só o que tenho
Por vezes são tudo que tenho
Na maioria do tempo não tenho nada
Mas agora tenho os teus olhos
Que eu nunca vi
Mas hoje sei que existem

1 comentários:

Hospício Temporário disse...

Que bonito! De uma sensibilidade mágica. Adorei, muito obrigada